Perguntas frequentes

Para além de participar nas aulas/sessões e divulgar o meu trabalho (se assim o sentires), convido-te ainda a subscrever gratuitamente a Newsletter para estar a par das novidades e receber algumas ofertas para promover a tua prática!

Obrigada pelo teu apoio 🙂

As aulas de Yoga Asana vão ao encontro dos estilos de Hatha ou Slow-Vinyasa. Nestas aulas é sempre dada prioridade à integridade da respiração e à sua fluidez com os movimentos praticados. O ritmo não é tão intenso como uma prática tradicional de Vinyasa, apesar de algumas posturas gerarem calor interno, através de algumas repetições ou activações musculares isométricas, por exemplo. Sempre que possível são incorporados movimentos de treino fascial, que podem incluir, entre outras coisas, o balanço rítmico, a mudança de direcção ou o movimento e contra-movimento (“squeeze and stretch”) para a hidratação da fáscia.

Também faculto aulas de Yin Yoga e de Restorative Yoga, onde o foco é “estar” na postura. Enquanto que Yin Yoga ainda permite alguma sensação (um 5, numa escala de 0 a 10) o Restorative Yoga tem como propósito a ausência de sensação e o render total ao relaxamento. Ambos são práticas que convidam, ainda mais, à introspecção e ambos usam abundantemente os acessórios como bolsters, almofadas, mantas e blocos para preencher o espaço entre o corpo do praticante e o chão. Yin Yoga é praticado quase sempre com os musculos e os tecidos conjuntivos a frio, por si, enquanto o Restorative Yoga pode servir como complemento para o final de uma aula mais activa, como descrito acima.

Por último, faculto ainda experiências de Yoga Nidra. Esta prática também é referida como Yoga do Sono, ou Sono Consciente e é uma experiência de relaxamento profundo que proporciona efeitos não só no bem estar físico como mental e emocional. É praticado em Savasana (posição deitada de costas) e, apesar de à primeira vista parecer que se está simplesmente a dormir, a prática de Yoga Nidra é uma viagem de auto-descoberta e de regeneração. A diferença está em que, para além de se estar em savasana, se coloca a intenção de praticar Yoga Nidra que, essencialmente, é um estado de consciência de amor, paz e união profundos. Tal como refere Tracee Stanley “Yoga nidra can be understood as a technique, a state of consciousness, and a Goddess. It is expansive, supportive, and nurturing, a powerful practice for anyone. Yet it transcends our ability to truly describe it, try as we might. If there is one thing I know it’s that this is the practice we all deserve”.

Consoante o tema da aula ou os objectivos do praticante, também incluo mudras, mantras e outras ferramentas da tradição do Yoga que sinta que vão complementar uma dada sequência ou promover um trabalho interno mais profundo.

Todas as práticas têm os seus benefícios e os seus pontos a considerar. Qualquer dúvida, basta entrar em contacto aqui!

Qualquer uma das práticas aqui indicadas tem benefícios e contra-indicações, dependendo de cada indivíduo. Cada praticante deve assegurar que tem o aval de um profissional de saúde para iniciar uma nova actividade, pois não pretendo fazer qualquer diagnóstico físico, mental ou emocional. Posto isto, as práticas aqui indicadas são geralmente apropriadas para a maioria da população são adaptáveis às necessidades de cada praticante. As aulas tanto dão para iniciantes como para quem já tenha praticado.

Para qualquer uma destas práticas, basta aparecer. Não é necessário qualquer material específico para praticar Yoga Asana, Qigong, Respiração Consciente ou Meditação. Se o praticante desejar, pode adquirir um tapete de yoga ao seu gosto e, consoante as suas necessidades, considerar adquirir alguns acessórios tais como blocos, bolsters, mantas ou faixas, que facilitam a prática e tanto são adequadas para iniciantes como para praticantes mais experientes. Antes de se investir, é sempre possível usar almofadas que se tenha em casa, livros ou caixas, para experimentar a diferença de praticar com este tipo de apoio e que, muitas das vezes tornam a nossa prática numa experiência mais aprazível.

Dedico o mesmo cuidado na preparação de qualquer uma das minhas aulas. A diferença está naquilo que o praticante procura experienciar.

As aulas particulares têm a vantagem de ser totalmente personalizadas às necessidades do praticante. Aqui é possível estabelecer uma relação de confiança e observar o desenvolvimento do aluno de um modo muito mais próximo e cuidado. As aulas de grupo têm uma energia mais dinâmica mas, ainda assim, exclusiva, pois procuro sempre manter um número reduzido de alunos para não quebrar a atmosfera imersiva e acolhedora da aula.

As aulas presenciais beneficiam da possibilidade de uma observação mais detalhada a 360º enquanto o(s) aluno(s) pratica(m), o que permite oferecer ajustes manuais consentidos, quando necessário. A experiência é mais imersiva a nível sensorial e permite criar um espaço dedicado unicamente à prática e a si-mesmo(a).

Novidades em breve 🙂

Nunca é tarde para iniciar qualquer uma das práticas aqui referidas. Basta começar. As aulas são apropriadas a todos os níveis e tudo é adaptável à necessidade de cada praticante. As posturas adaptam-se a nós e não o contrário. O objectivo de qualquer uma destas práticas não é a perfeição ou “fazer as posturas perfeitamente” – o objectivo é praticar a presença, a consciência nas práticas e trazer essa consciência para o dia-a-dia.